-- Temas Acadêmicos de Psicologia --

- Aqui estão alguns Temas do mundo da psicologia,
que podem ser úteis para qualquer pessoa.



- Artigos:

-Acupuntura: Tratamento natural, milenar e científico.
-Alimentação: fracione, organize, equilibre!
-Ansiedade
-Ansiedade de Desempenho no Esporte
-Ansiedade de desempenho no vestibular
-Ansiedade e medo de dirigir
-Ansiedade e Terapia Cognitivo-Comportamental
-Assertividade
-Colecionismo
-Como iniciar uma conversação?
-Como lidar com a raiva
-Compulsão ao Jogo
-Depressão não é só Tristeza
-Disfunções Sexuais
-Efeitos das Emoções Positivas
-Felicidade
-Felicidade Autêntica
-Mas, o que é auto-estima?
-Medo de Voar de Avião
-Medo do tratamento Odontológico
-Nutricionista Adriana Lauffer
-O Medo de Errar
-Perdoar faz bem
-Perfeccionismo: escravidão pela perfeição e oposição à  frustração
-Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC)
-Transtorno do Comer Compulsivo
-Tratamento do Tabagismo
 

- Artigos:

- >Felicidade Autêntica -

->“Sabia-se muito a respeito da depressão, mas quase nada sobre a essência comum das pessoas felizes”, afirma Martin Seligman PhD, psicólogo americano, ex- presidente da Associação Americana de Psicologia, que há mais de 20 anos dedica-se em compreender as emoções positivas e as raízes da felicidade.

Seligman afirma - Felicidade Autêntica: usando a nova Psicologia Positiva para a realização permanente. 2004. Objetiva - que alcançar felicidade, alegria, entusiasmo, conforto e encantamento, de maneira rápida como é ofertada em nossa sociedade atual, através do prazer momentâneo e da aquisição de bens, “cria legiões de pessoas que definham espiritualmente, porquanto, emoção positiva desligada do exercício do caráter leva ao vazio, à inverdade e à depressão”.

O renomado psicólogo divide emoções positivas em três espécies:
Voltadas ao passado: satisfação, contentamento, orgulho e serenidade;
Voltadas ao futuro: otimismo, esperança, confiança e fé e
Voltadas ao presente: prazeres e gratificações.

As emoções positivas momentâneas que vêm através dos sentidos: cheiros, gostos, sensações sexuais, visões e sons agradáveis, são o que o autor denomina de prazeres físicos. Os prazeres maiores, também momentâneos, que também são emoções positivas, são provocados por eventos mais complexos e mais aprendidos do que sensoriais e são sentimentos que despertam êxtase, emoção, alegria, encantamento, divertimento, entusiasmo, conforto, relaxamento, entre outros.

As gratificações, emoções positivas voltadas ao presente, não são sentimentos, conforme afirma Seligman, mas atividades que gostamos de fazer: ler, dançar, conversar, escrever, ajudar, jogar, pescar, trabalhar, estudar, por exemplo. Essas atividades nos absorvem completamente, bloqueiam nossa consciência, bloqueiam nossa emoção, exceto em retrospecto (“Puxa, como foi legal!”) e criam um estado em que o tempo pára e a pessoa fica completamente à vontade, é o que o psicólogo chama de flow – experiência em fluxo.

Segundo o autor, as gratificações não podem ser alcançadas nem intensificadas permanentemente, sem que se desenvolvam forças e virtudes pessoais, e ele relaciona com a felicidade, a qual não pode ser alcançada por estados subjetivos momentâneos. Para o pesquisador, felicidade inclui a idéia de uma vida autêntica, e autenticidade é obter gratificação e emoção positiva através do exercício das próprias forças pessoais, “que são caminhos naturais e permanentes para a gratificação.”

Seligman afirma que as gratificações são o caminho para a vida boa, que segundo ele, é a utilização de nossas forças pessoais para a obtenção de gratificação abundante em diversos âmbitos de nossas vidas.

Portanto, se fizermos de nossas experiências do passado, presente e futuro as melhores possíveis, e descobrirmos – e utilizarmos - nossas forças pessoais, em iniciativas que considerarmos significativas, encontraremos a vida plena, a qual Seligman define: “uma vida plena consiste em experimentar emoções positivas acerca do passado e do futuro, saboreando os sentimentos positivos que vêm dos prazeres, buscando gratificação abundante no exercício das forças pessoais e aproveitando essas forças a serviço de algo maior, para obter significado”.

Autor/ Fonte
Psicóloga Márcia Copetti - CRP-07/13277 / Marciacopetti.com.br






Voltar